INTRODUÇÃO


A SACHS foi a primeira e continua sendo uma das principais fornecedoras de embreagens do país e, por isso, traz confiança e credibilidade para você realizar o melhor trabalho. Neste módulo, vamos conhecer melhor os componentes e alguns defeitos que podem ser evitados na hora da manutenção.

É importante lembrar que nos veículos, a embreagem tem como funções possibilitar acoplamento suave e sem ruídos, transmitir o torque do motor para a caixa de transmissão, além de permitir a interrupção da transmissão de torque para possibilitar as mudanças de marcha.

Além disso, a embreagem também age como um amortecedor de vibrações do motor para diminuir ruídos provenientes da caixa de transmissão.

ATENÇÃO: quando receber o kit de embreagem, não se esqueça de checar se todas as peças estão em ordem dentro da caixa, ok? Agora vamos conhecer seus principais componentes.

PLATÔ DE EMBREAGEM: é fixado diretamente sobre o volante do motor, formado por carcaça, mola membrana, placa de pressão, cordão da placa, rebite e anel de articulação.

DISCO DE EMBREAGEM: é formado pelo revestimento, que é o material de atrito, e o pacote torcional, responsável por amortecer as vibrações do motor para a caixa de câmbio.

MANCAL: formado pelas esferas de rolamento, que ficam por dentro da peça, pista de rolamento e suporte. Agora que já conhecemos seus componentes, vamos conhecer alguns defeitos que podem ser evitados na hora da manutenção.

O primeiro item a ser considerado é o mancal da embreagem. Essa é uma pequena peça que, quando desprezada, pode causar grandes problemas. Quando travada, não é possível mais debrear, o que resulta no difícil engate das marchas. O problema pode causar ruído e também desalinhamento, provocando mau funcionamento da peça ou até deixando-a inoperante

Os retentores dos eixos também precisam ser analisados. A embreagem funciona basicamente por atrito, então qualquer vestígio de óleo pode influenciar negativamente as suas funções. A presença de óleo nos compartimentos e no conjunto de platô e disco indica que o retentor deve ser substituído. ATENÇÃO: em veículos com alta quilometragem, os retentores devem ser imprescindivelmente analisados e substituídos para evitar problemas como patinação e trepidação..

É sempre importante verificar, também, o volante do motor que é, juntamente com a placa do platô, uma das faces de atrito do disco.

É necessário que marcas como rachaduras, trincas, queimaduras e sulcos sejam eliminadas quando possível. Caso contrário, o volante deve ser substituído. O retrabalho, ou seja, a retífica, deve ser feita. Porém, dentro das especificações dos fabricantes. É importante lembrar que a superfície de fixação do platô deve ser retrabalhada junto na retífica para que se mantenha a mesma altura da peça nova.

Atente-se também ao tubo guia que deve estar absolutamente concêntrico, ou seja, estar no mesmo centro e exatamente paralelo com o eixo piloto da transmissão. Áreas amassadas ou gastas no tubo guia podem prejudicar o deslizamento do mancal e causar patinação, trepidação e pedal duro da embreagem.

Nunca se esqueça de verificar, também, se o garfo se movimenta livremente. Excesso de folga pode prejudicar o curso de acionamento de debreagem.