INTRODUÇÃO


Você sabe dizer exatamente qual é a função da sapata de freio e fazer, sem erros, a troca? É sobre isso que falaremos neste módulo. Vamos começar?

Antes de tudo, é preciso lembrar que existem dois tipos de peças: as sapatas rebitadas e coladas.


As sapatas agem no momento do acionamento do pedal de freio pelo motorista. O movimento transmite força do pedal através do fluido hidráulico e do acionamento do cilindro de rodas que, por sua vez, irá movimentar as sapatas de freio contra o tambor iniciando, assim, a frenagem do veículo.


Vale lembrar que nos veículos mais novos, elas são utilizadas com mais frequência no eixo traseiro. Porém, também podemos encontrar veículos mais antigos com sapatas no eixo dianteiro.


Alguns sinais que as sapatas podem apresentar quando estão com problemas são: barulho na roda, travamento, veículo puxando para um dos lados durante a frenagem e frenagem ineficiente.


Esses sintomas podem ocasionar problemas mais sérios como vazamento do cilindro de rodas e desgastes ou quebra nos conjuntos de molas do sistema de freio.


Vamos para a troca? Começamos retirando a roda do veículo para ter acesso ao componente.


Antes de retirar o tambor de freio, retornamos a alavanca de freio de estacionamento na posição de repouso e soltamos a regulagem do freio de estacionamento através da porca de ajuste.


Agora, retiramos o parafuso guia do tambor e, em seguida, o tambor de freio para acessar a sapata e seus componentes de acionamento.


Seguimos retirando as molas da sapata. ATENÇÃO: para a mola inferior você precisa afastar a sapata para aliviar a tensão.


Após retirar todas as molas, só precisa desconectá-las do cabo de freio do estacionamento e retirar manualmente.


Com as sapatas fora do veículo, conseguimos ver o seu desgaste e possíveis contaminações por fluido de freio nas lonas.


Agora, retiramos os componentes da sapata antiga e transferimos para a nova.


Vamos para o processo de montagem no veículo. Conectamos a haste da sapata na alavanca de freio de estacionamento.


Em seguida, conectamos a alavanca no cabo do freio e inserimos a sapata. Depois de encaixada a haste, é preciso ver se a sapata está alinhada com o centro dos pistões do veículo.


Encaixamos as molas antirruído e de apoio. Em seguida, a mola de retorno da sapata e verificamos se realmente está bem aplicada. Tudo certo? Partimos para o resto das molas.


Agora, colocamos o tambor. ATENÇÃO: é muito importante verificar se as lonas não estão interferindo no tambor. Ele precisa girar livremente.


Após a substituição das sapatas, realize a regulagem do freio do estacionamento conforme a especificação técnica do fabricante. Na maioria dos veículos com freio a tambor, existe um regulador automático. Fique atento à condição do veículo.


Aí vão algumas dicas: verifique com frequência a posição da alavanca do freio de estacionamento. O ideal é revisarmos o sistema de altura, se possível, a cada 10.000 km. Não utilize tambores com o diâmetro maior que o especificado. Em veículos que contém originalmente sapatas rebitadas, deve-se seguir a manutenção convencional. No caso de veículos com sapatas colocadas na armação, devemos seguir o padrão original.


Cuidados na manutenção: não utilize derivados de petróleo para lavar os componentes do sistema de freio. Isso poderá danificar os componentes de borracha. Lembre-se de efetuar a substituição da graxa dos rolamentos do tambor de freio.